quinta-feira, 30 de abril de 2009

Doutor Morte - Arte?

, Doutor Morte utiliza cadáveres humanos "plastinados" como obra de Arte?
Doutor morte insiste em dizer que não, mas fatura horrores em suas exposições. Segundo o crítico de arte inglês David Lee: "Não dá para encarar aquilo como arte: é só trucagem... Tudo o que Hagens quer é se manter sob os holofotes."



Atualmente o sonho de Gunther Von Hagens é plastificar o corpo de Michael Jackson após sua morte. Conheça um pouco mais sobre as bizarrices desse Alemão e toda a polêmica que gira em torno do Assunto: arte ou charlatanismo?



Gunther Von Hagens é médico anatomista e professor alemão, conhecido como "doutor morte" e também chamado pela imprensa britânica de "doutor Frankenstein". Von Hagens ficou conhecido mundialmente pela técnica da "Plastinação de corpos humanos de cadáveres" criada e patenteada por ele em 1977.
A técnica de plastinação usada para embalsamar cadáveres humanos consiste em substituir as substâncias orgânicas dos cadáveres, tais como, sangue e gordura, por um tipo de silicone, tornando os corpos flexíveis e inodoro, além de conservar o tom natural dos tecidos. Essa técnica de conservação permite um estudo mais detalhado do corpo humano e sem os odores que normalmente é sentido em uma aula de anatomia.
Mas o trabalho de Gunther deixou de ser educativo e criou uma imensa polêmica a partir do momento que passou a utilizar os cadáveres "plastinados" como obra de arte. São criações bizarras que chocam e levantam questões éticas e religiosas. Gunther manipula partes de corpos humanos mortos e monta novos corpos de maneira a torná-los visualmente perfeitos.
Em 1996, "doutor Morte" criou a exposição Body Worlds (mundo dos corpos), onde exibe como obra de arte cadáveres sem a pele, fazendo com que orgãos , nervos, ossos, artérias e veias, fiquem expostos. Algumas dessas obras são releituras bizarras de clássicos da pintura e da escultura. Apesar de ser considerado por muitos um show de horrores, as exposições do "doutor morte" se tornaram um empreendimento muito lucrativo que permitiu a ele construir uma imensa indústria de conservação de cadáveres em Dalian, China.
Em 2004 a revista alemã "Der Spieger" publicou um artigo onde acusou "doutor morte" de contrabando, uso indevido e comercialização inescrupulosa de corpos humanos. Muito bem documentada a acusação apresentou fotos dos empregados manipulando cadáveres e documentos que mostrou a existência de 3909 partes de corpos, como mãos, pernas, pênis, embriões, tudo catálogado com número de série, tamanho, altura e sexo. Como uma linha de montagem, as partes defeituosas excluídas e as boas usadas para montar cadáveres perfeitos.
A matéria acusa "doutor morte" de construir um “autêntico mercado de cadáveres. Segundo o artigo, os cadáveres usado como matéria prima por von Hagens são obtidos ilegalmente por uma academia de medicina onde ele é professor. São corpos de indigentes, deficientes mentais e prisioneiros chineses executados em campo militar perto de sua fábrica na china.
"Doutor morte" se defendeu dizendo que os cadáveres são doações e justifica seus trabalhos como sendo didáticos, diz que suas exposições permitem ao público um maior esclarecimento do corpo humano e sempre se recusou dizer abertamente que o que faz é arte, mas gosta de afirmar que é um continuador do precursor da anatomia Leonardo da Vinci, que dissecou muitos cadáveres e produziu desenhos a partir de suas observações.



Curiosamente, o "doutor morte" usa um chápeu preto como o personagem da pintura de Rembrandt, "Aula de Anatomia do doutor Tulp", (foto acima).

As imagens abaixo foram selecionadas de maneira a não chocar tanto, existem fotos mais chocantes.













E você o que acha, Gunther Von Hagens Artista ou um Charlatão?
Existe ética médica nos procedimentos do doutor morte?

Site da Exposição Body Worlds de Gunther von Hagens.

3 comentários:

MDuval disse...

Cá entre nós, são corpos, nada além disto. Se lá estão o mal que poderiam fazer seria aos familiares, um mal psico-emocional e, parece-me que, mesmo contrabandeados, nunca houve um familiar reclamando ou acionando litigiosamente o professor, artista, ou seja lá que título se lhe dê.
Muito bom o post, texto limpo e claro, como sempre.
GRDe ABÇo.
MarGGa

Donizete disse...

Sou contra este tipo de exposição ainda mais quando os interesses são meramente financeiros.

Única medida acertada de Hugo Chaves foi proibir a exposição dos corpos na Venezuela.

Um abraço

Donizete

Glória Fontanetto disse...

Sinistro.

É tão estranho quanto ver bichos empalhados.