domingo, 12 de abril de 2009

Dalai Lama - Os Cinco Pontos

Monge budista e líder espiritual, Dalai Lama nasceu em 1935 numa pequena aldeia no nordeste do Tibet. Nos dias atuais Dalai encontra-se exílado na Índia onde criou a sede do governo tibetano no exílio, na cidade de Dharamsala, chamada de 'Pequena Lhasa'.
Dalai Lama é o XIV na sucessão espiritual budista, foi reconhecido como a reencarnação de Buda desde a idade de 2 anos, seu nome significa 'Oceano de sabedoria'.



Em 1950 quando o Tibet foi invadido pela china, Dalai tornou-se chefe de Estado e passou a negociar a soberania do Tibet, mas em 1959 após uma fracassada rebelião nacionalista, Dalai Lama foge para o exílio na Índia, acompanhado de cerca de 80 mil tibetanos, onde criou a sede do governo tibetano em exílio e continua tentando, até hoje, encontrar uma forma pacífica de independência para o Tibet. Em 1987, Dalai Lama elaborou o chamado 'Plano de Cinco Pontos' que pretendia libertar o Tibet da dominação chinesa, mas o intransigente e ganancioso governo Chinês não aceitou a proposta de Dalai Lama. Os Cinco Pontos do plano elaborado por Dalai Lama consistia no seguinte:

1º ponto - O Tibet deveria ser uma zona de paz
2º ponto - Sem armas
3º ponto - Direitos Humanos e Democracia
4º ponto - Restauração e proteção do meio ambiente
5º ponto - Diálogo e negociação com a china

Você deve está se perguntando, qual o interesse da china no Tibet?

O maior interesse deve-se ao fato do Tibet ser uma região rica em urânio, uma das maiores reserva de urânio do mundo. Como todos sabem, o urânio é a matéria prima usada no funcionamento dos reatores nucleares.
A China enfrenta problemas graves devido ao elevado contingente populacional, pensando em amenizar esse problema o governo Chinês criou um incentivo às famílias que queiram morar no Tibet, transferindo o excedende populacional para esse país que sofre com graves problemas de infraestrutura sanitária.
Outro fator muito importante da cobiça chinesa no Tibet, deve-se a posição geográfica do Tibet, estratégicamente situada na fronteira da Índia, um país armado até os 'dentes' e também uma potência nuclear muito simpatizante com os chineses. Uma união de forças muito perigosa.



O Tibet vive em estado de miséria nos dias atuais, uma injustiça agravada pela omissão da ONU e dos países que poderiam intervir, mas se calam por conveniência de interesses nas relações com a China. Os chineses não se cansam de tentar manchar a reputação de Dalai Lama criando lendas a respeito de Dalai, uma dessas lendas diz que o monge budista realiza rituais ao som de tambores confeccionados com peles de tibetanos traídores.



Em 1989 Dalai Lama recebeu o Prêmio Nobel da Paz, um reconhecimento as muitas tentativas em torno de uma solução de paz entre a China e o Tibet. Dalai Lama ao contrário do que tenta fazer acreditar os chineses, prega a bondade, a compaixão, a paz no mundo. Para o monge tibetano, a melhor religião é aquela que torna o ser humano melhor, mais digno, elevando a grandeza de seu espírito.Recentemente o governo da África do Sul, a pedido das autoridades chinesas, negou o pedido de concessão de visto do líder tibetano Dalai Lama que pretendia participar de uma conferência sobre paz e esporte onde vários ganhadores do Prêmio Nobel da Paz iriam se reunir. Essa conferência foi adiada devido a ameaça de boicote por parte dos convidados ganhadores do Prêmio Nobel. As autoridades da África do sul negam que essa medida tenha sido imposta pelo governo Chinês, mas coincidentemente, é fato, que a China é responsável por grandes investimentos na África do Sul.



O grande desafio desse milênio está na retomada da espiritualidade do ser humano em todas as relações, seja na tolerância entre os povos, seja no corporativismo responsável, harmonizando as relações de amor, respeito e solidariedade. A globalização e a atual crise mundial apontam um novo caminho a ser seguido pelas empresas corporativistas, pelos governos responsáveis que pautem suas diretrizes e relações comerciais, na ética, na moral, na parceria, enaltecendo os valores indíviduais de cada ser humano e a sua espiritualidade. Sem solidariedade, amor ao próximo, sem ética e princípios morais, estamos fadados ao caos. A espiritualidade é a grande saída para a transformação e melhoria das relações humanas e do próprio sistema capitalista. Não adianta inventarem sistemas econômicos, pode ser o capitalismo, socialismo ou o comunismo, se não houver uma mudança dentro de cada ser humano a paz nunca será possível. Quando o ser humano transforma seus erros em acertos se cria uma ponte para a paz. Tenha certeza, o futuro está nas mãos de cada ser humano, viva com sabedoria e honestidade e não se apegue a fundamentalismos, respeite a natureza, participe da vida política do seu país e seja solidário com seu próximo. Assim poderemos fazer um futuro melhor para nosso planeta.

Pense nisso!

2 comentários:

Maggie. disse...

Bom dia! Felicidades pra você também, só ví o comentário agora mas como é oisa boa vale para qualquer hora!! Abraço!

Arthurius Maximus disse...

Sem dúvida um dos maiores líderes mundiais. Mas, sinceramente, não vejo futuro para a sua causa. A China é muito poderosa economicamente para ser pressionada. Basta saber que é, hoje, a principal credora dos EUA.