sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Joan Miró - Surrealismo, Constelações de Amor, Fome e Guerra

Joan Miró, nasceu em Barcelona, 20 de abril de 1893, na cidade de Palma de Maiorca. Miró foi um importante escultor e pintor surrealista catalão.


Quando criança, na escola, tinha o apelido de "Cabeçudo". Dono de um temperamento introvertido e arredio, Miró aos quatorze anos de idade, frequenta a escola de belas artes, mas não dá continuidade aos estudos por não concordar com o currículo demasiadamente acadêmico.
O artista praticou desde o início uma pintura de colorido intenso, com forte influência do movimento fauvista, que teve como seus principais expoentes, na França, os artistas Matisse e Vlaminck.
Aos 25 anos mudou-se para Paris, onde conhece a vanguarda artística e cultural francesa e por consequência o movimento surrealista. O escritor André de Breton, o pai do movimento surrealista, considerava Miró o artista mais surrealista de todos.
Joan Miró passou por muitas dificuldades até ser respeitado no mundo artístico.
Segundo palavras de Miró, existia uma diferença básica entre ele e os outros artistas surrealistas de sua época, pois enquanto os outros artistas surrealistas utilizavam-se da substância artificial para abrirem livremente as portas da percepção, o seu principal canal com o mundo da alucinação e do delírio era a Fome.

"Eu voltava tarde da noite para casa e, por falta de dinheiro, não jantava. Assim, rabiscava no papel as sensações que a fome provocava em meu organismo"

still life with old shoes, 1937, Miró


A vida tomou um novo rumo depois que conheceu o negociante de quadros, Jacques Viot. Com o dinheiro que conseguiu, viajou para a Holanda e em 1929 casa-se com Pilar juncosa, com quem tem sua filha Dolores. Vive uma vida mais tranquila em Paris e depois na Espanha, de onde teve que sair devido a guerra civil espanhola. Foi para França de onde participou ativamente da luta pela liberdade de seu país: Pintou cartazes de propaganda política e idealizou o Painel "O Ceifeiro", que foi exposto juntamente com 'Guernica', de Pablo Picasso, no pavilhão espanhol da Exposição Internacional de Paris.
Estoura a Segunda Guerra Mundial, Miró foi obrigado a deixar a França, em 1940, devido ao risco eminente da ocupação nazista em Paris. É nesse cenário que Miró realiza uma séria famosa, "constelações", que simboliza a evocação de todo o poder criativo dos elementos e do cosmos para enfrentar as forças anônimas da corrupção política e social causadora da miséria e da guerra.



Sua obra mais importante foi, "Números e constelações em Amor com uma Mulher", 1941, foi pintada a aquarelas e gouches sobre papel.

Pintura, "Números e constelações em Amor com uma Mulher"


Uma obra que reflete, além de um sentimento amoroso e envolvente, a simplicidade adquirida pela arte e pelo design nos durante e pós guerra, já que na época em que foi pintada, decorria a Segunda Guerra Mundial. Essa obra está no ranking das obras de arte mais famosas do mundo.

"O Carnaval de Arlequim" e "Maternidade" (A figura de mulher era quase sempre retratada como a mãe terra: um símbolo de fecundidade), são duas pinturas famosas.
Em 1944, iniciou-se em cerâmica e escultura. Na escultura gostava de usar materiais surpreendentes, como a sucata.

Pintura 'O Carnaval de Alerquim'



Pintura "Maternidade"


Miró morreu aos 90 anos, reconhecido internacionalmente como um dos maiores artistas surrealista do século 20.


"Eu não invento nada, está tudo aqui! É por isso que tenho de viver aqui!."

Obras de Miró







Esculturas de Joan Miró







Gallery Miró
Fundação Joan Miró
Biografia de Miró
Wikipédia Joan Miró
Fotos de Miró - Pintura Mediunica

8 comentários:

wowelster disse...

Ótima postagem.
Parabéns!

André disse...

surrealismo é algo extremamente complexo /miro foi um deus/ lembra picasso - conheço pouco de pintura por que idolatro vicent van gogh
as obras postadas me arrepiaram.

Michell Niero disse...

De todos os “ismos”, os que mais me agradam são o surrealismo e o dadaísmo. Ainda não conheço muito de Miro, não pude a exposição dele aqui em SP. Mas gosto muito de Dali, do cinema de Bunuel, de Duchamp. São artistas que mesmo após a virada de um século conseguem manter o frescor e a atualidade. Um dos segredos da arte é isso.

Alexandre Brendim disse...

Meus filhos estudam em um colégio de origem espanhola e já conhecem a arte de Miró.

Quantos colégios brasileiros ensinam a arte de Portinari, Volpi, Aldemir Martins, Romero Brito, entre outros???

Detalhe...meu caçula tem 8 anos.

Atreyu disse...

Arte Moderna é algo que muito me agrada! Principalmente a literatura! Gosto e gosto muito! Ótimo post!!!

jorge fortunato disse...

Não chego a ser um fã de Miró, mas gosto do trabalho dele, principalmente por conta do colorido. Já vi uma exposição com cerêmicas desse artista e gostei muito também. Um dia ainda conheço Barcelona.
bjs

Fashion disse...

Eu estava fazendo uma pesquisa sobre Miró... e encontrei tudo o que eu precisava aqui... adorei bjins

pericles disse...

Miró me lembra muito Antoni Gaudí, principalmente pelas esculturas. Eu sou fã de carteirinha de Paul Cézanne, que na minha opinião é o maior pintor da era moderna. Mas Miró também é um dos grandes, que junto com Magritte são os surrealistas que eu mais admiro.