sábado, 1 de novembro de 2008

Carmem miranda, O Mito e a Lenda da MPB

Maria do Carmo Miranda da Cunha, nasceu em Portugal - Marco de Canavese (provincia de Beira-Alta), 9 de fevereiro de 1909. Logo após seu nascimento seus pais vieram morar no Brasil.
Carmem, apelido recebido dos brasileiros, ficou famosa internacionalmente como cantora da música brasileira e foi considerada a precursora do movimento cultural chamado Tropicalismo.
Foi o compositor Josué de Barros que descobriu o talento desse grande mito da música popular brasileira, e passou a promovê-la em gravadoras e teatros.
Seus primeiros discos foram gravados na gravadora alemã Brunswick. Em 1930, Carmem miranda, grava o seu primeiro grande sucesso, a marcha "Pra Você Gostar de Mim", a famosa "Taí", de Joubert de Carvalho. Depois dessa gravação, os jornais começam a apontá-la como a "Maior cantora brasileira". Em 1933, Carmem Miranda assina um Contrato com a Rádio Mayrink Veiga e ganha o apelido de "Cantora do It" e no mesmo ano faz sua primeira turnê internacional, apresentando-se em Buenos Aires e um ano depois volta a Argentina para uma temporada de um mês na Rádio Belgrano.
O sucesso e a popularidade de Carmem era tanta que a industria cinematográfica não resistiu a seus encantos e no dia 20 de Fevereiro de 1936 ela estreou o filme "Alô, Alô Carnaval", onde em parceria com Aurora, sua irmã, cantam a música "Cantoras do Rádio". Essa parceria fez tanto sucesso que logo em seguida passaram a integrar o elenco do Cassino da Urca, de propriedade de Joaquim Rolla.
Em 1939, o empresário americano Lee Shubert assistiu ao espetáculo de Carmem Miranda no Cassino da Urca e se Encanta por sua sensualidade e talento, Shubert contrata a cantora que no dia 4 de maio de 1939, véspera da Segunda Guerra Mundial, parte para os Estados Unidos a bordo do Vapor Uruguai.
No dia 29 de maio de 1939 Carmem estreou na revista "Streets of Paris", em Boston e a imprensa americana fica apaixonada pelo talento da cantora que com o passar do tempo alcança um reconhecimento estrondoso que a consagra como o grande nome da música brasileira nos Estados Unidos. Cantou na Casa branca no governo do presidente Franklin D. Roosevelt em Washington. Carmen atuou em 13 filmes em Hollywood e tem seu nome na calçada da fama.
Sua vida pessoal foi marcada por muitos namorados e um casamento mal sucedido com David Sebastian, que dizem as biografias, esse relacionamento a levou a decadência física. Sebastian era um alcoólatra e fracassado que insistiu em empresariar Carmem, e foi responsável por muitos negócios mal conduzidos. Carmem Miranda acabou por influência de seu marido, se tornando uma dependente do álcool e seu casamento logo entrou em crise, mas ela sempre se recusou ao divórcio devido a sua devoção ao catolicismo.
O hábito e a dependência de barbitúrios, unidos ao álcool e ao tabaco foram as drogas que potencializaram sintomas em sua saúde. Diagnosticada erroneamente por um médico americano como estafada, Carmem retorna ao Brasil e sofrendo os efeitos da dependência química é internada e seu médico brasileiro tenta desintoxicá-la.
Carmem melhora, abandona o cigarro, os remédios e o álcool, recuperada volta aos Estados Unidos e retoma sua agenda atribulada e meses depois começa novamente a fazer uso dos barbitúrios.
No dia 5 de agosto de 1955, durante um número de dança, sofre um desmaio e recuperada termina o número e volta para sua casa onde na mesma noite recebe amigos em sua residência em Beverly hills. Após cantar e beber com os amigos, as duas horas da manhã preparou-se para dormir quando então sofre uma ataque cardíaco fulminante.
Seu corpo foi encontrado pela empregada logo depois.
No Brasil sua irmã Aurora Miranda recebe de madrugada a notícia pelo marido de Carmem.
O Repórter Esso, na voz de Heron Domingues, foi o primeiro a noticiar a morte da Pequena Notável. Os fãs ressentidos, que a chamaram de "ingrata" quando ela largou o Brasil para seguir carreira nos Estados Unidos, esqueceram das mágoas do passado e se comoveram com sua morte.
Seu corpo chegou embalsamado ao Rio de Janeiro, no dia 12 de agosto de 1955. Sessenta mil pessoas compareceram ao seu velório, realizado no saguão da Câmara Municipal. O corpo foi enterrado no Cemitério São João Batista. O cortejo fúnebre foi acompanhado por cerca de meio milhão de pessoas que cantavam triste, "Taí".
Durante toda sua tragetória profissional, Carmem ficou conhecida pelos slogans: "A pequena do It", "Rainha do Samba", "Ditadora Risonha do Samba" e "A Pequena Notável".
Carmem Miranda para sempre será o "Grande mito da Música Brasileira", um referencial que inspirou muitos artistas e cantores da MPB.
Conheça sua biografia completa, obras e fotos, acessando o Site

Museu da Cantora
Video O que é que a Baiana tem

Um comentário:

Ely disse...

Dizem que a Carmen Miranda foi a cantora "brasileira" que mais fez sucesso no exterior. Ela tinha um estilo particular na maneira de cantar, na performance no palco e uma vida cheia de glórias e dramas.
Passam-se anos... avós, pais, filhos, netos e bisnetos, enfim, Carmen Miranda - o mito e a lenda da MPB, será eternamente lembrada.
E, parabéns pelo Blog! Maravilhoso!