sábado, 29 de novembro de 2008

Natal - A Celebração da Vida e seus Símbolos

O Natal é a maior festa do cristianismo, até mesmo quem não é cristão, não consegue ignorar essa data carregada de simbolismos.
Por mais que conteste os céticos e os críticos do consumismo, é uma data de celebração da vida, um momento mágico.

A Origem do Natal

A origem do natal vêm da idade média, quando a igreja católica introduziu o natal em substituição a festa do deus Mitra (uma divindade persa), o "sol da virtude".
A data conhecida pelos primeiros cristãos foi instituída pelo papa Libério, no ano 354 d.c
Relata a bíblia que um anjo anunciou para Maria que ela daria a luz a Jesus, o filho de deus.
Na véspera do nascimento, o casal viajou de Nazaré para belém, chegando na noite de natal.
Não encontrando um lugar para dormir, eles ficaram no estábulo de uma estalagem.
Entre bois e cabras, Jesus nasceu, sendo enrolado com panos e deitados em uma manjedoura.
Pastores que estavam próximos com seus rebanhos foram avisados por um anjo e visitaram o bebê. Os Três reis magos que viajavam há dias seguindo a estrela guia, também encontraram o lugar e ofereceram presentes ao menino jesus: Ouro, mirra e incenso. Assim se espalhou a notícia de que havia nascido o filho de deus.

A Simbologia do Natal

O culto do natal é carregado de magia, um ambiente feito de sons, luzes e cores que tomam conta de nossas casas e das ruas, praças e comércio das cidades, dias antes da data propriamente dita, ficando assim, impossível ignorar essa comemoração cristã.

Esses simbolos são:

Árvore de Natal - Representa a renovação da vida, o nascimento de Jesus, o filho de Deus. Essa tradição surgiu na Alemanha, no século XVI. Muitos atribuem essa novidade ao padre Martinho Lutero, autor da reforma protestante, que levou para casa um galho de pinheiro, e chegando em casa, colocou no vaso e enfeitou com papeis coloridos e velas acessas, demonstrando para sua familia, principalmente as crianças, como deveria ser o céu na noite do nascimento de Cristo.
Pequena ou grande, não importa, o importante para um cristão é que ela esteja presente em seu lar. É muito difícil encontrar uma casa que não tenha uma.



Presépio - Reproduz o nascimento de Jesus. O primeiro a armar um presépio foi São Francisco do Assis, em 1223, que quis celebrar o natal de um modo realista, criando o cenário real do nascimento de Jesus. O presépio é o único simbolo do natal de Jesus verdadeiramente inspirado nos evangelhos.



Vela - Representa a boa vontade, a luz que veio ao mundo com o nascimento de Jesus.



Estrela - No topo do pinheiro, representa a esperança dos reis-magos em encontrar o filho de Deus. A estrela guia os orientou até o estábulo onde nasceu Jesus.



Cartões de Natal - Surgiram na Inglaterra em 1843, criados por John C. Horsley que o deu a Henry Cole, amigo que sugeriu fazer cartas rápidas para felicitar os amigos e familiares. Com o advento da internet, essas felicitações e mensagens são enviadas por e-mail



Comidas Típicas do Natal - O simbolismo que o alimento tem na mesa vem das sociedades antigas que passavam fome e encontravam na carne, o mais importante prato, uma forma de reverenciar a Deus.
Nozes, avelãs, ameixas, figos, passas, castanhas, peru, pernil, chester, frango, rabanada, bacalhau, panetone, vinho, etc... não importa a quantidade, nem o que está na mesa, o que importa é que não falte o pão à mesa e pessoas reunidas em torno, celebrando o momento de fé e esperança de um mundo melhor, mais justo e fraterno.
É muito comum nessa época, as famílias fazerem o rateio das despesas.



Decoração Natalícia

Uma outra tradição do Natal é a decoração das casas, edifícios, praças, pontes e árvores, shopping, estabelecimentos comerciais, prédios públicos e cidades com elementos que representam o Natal.

Árvore de Natal montada na Lagoa Rodrigo de Freitas, Rio de Janeiro, ano de 2007



Presentes - Simbolizam as ofertas dos três reis magos. Hábito anterior ao nascimento de Cristo. Os romanos celebravam a Saturnália em 17 de dezembro com troca de presentes. No Brasil é um hábito no natal a brincadeira de amigo oculto, amigo invisivel, amigo secreto, uma maneira descontraída de presentear os amigos e familiares.



Papai Noel

O personagem Papai Noel (português brasileiro) ou Pai Natal (português europeu) foi inspirado em São Nicolau Taumaturgo, arcebispo de Mira, no século IV. Nicolau costumava ajudar, anonimamente, quem estivesse em dificuldades financeiras. Colocava o saco com moedas de ouro a ser ofertado na chaminé das casas. Foi declarado santo depois que muitos milagres lhe foram atribuídos. Sua transformação em símbolo natalino aconteceu na Alemanha e daí correu o mundo inteiro. Mas foi o professor de literatura Grega de Nova Iorque, que ao escrever o poema para seus filhos,"Visita de São Nicolau", em 1822, dá força a lenda do papai noel, pois ele descreve em seu poema, algumas caracteristícas que ficaram sendo marcas registradas do bom velhinho: trenó puxados por renas e o costume de papai noel entrar pela chaminé.





Ao contrário da lenda urbana que circula na internet, não foi a coca-cola que criou a lenda do papai noel. O visual de papai noel foi obra do cartunista thomas Nast, na revista Harper's Weeklys, em 1886, na edição especial de natal. Antes papai noel era representado com roupas de inverno, na côr azul, quando em 1931 a coca-cola uma campanha publicitária, onde o bom velhinho aparecia vestido de vermelho, com detalhes brancos e cinto preto, que eram as cores de seu rótulo. Essa campanha e a nova imagem do papai noel fez um enorme sucesso, mas isso não quer dizer que a coca-cola foi responsável pela criação do mito, mas sim, responsável por difundir o mito.

O importante, é que independente de sua crença, essa data seja vista como um dia de reflexão e renovação da nossa condição humana. A atual situação em que o mundo se encontra, é um forte indício de que o ser humano precisa rever seus valores e voltar seus olhos para seus semelhantes, somente a solidariedade, a compaixão pode nos tornar pessoas melhores, mais dignas de viver em um mundo melhor.


Minha Mensagem de Natal segue na letra da música de Ivan Lins - A bandeira do Divino:

"Os devotos do Divino vão abrir sua morada
Pra bandeira do menino ser bem-vinda, ser louvada
Deus nos salve esse devoto pela esmola em vosso nome
Dando água a quem tem sede, dando pão a quem tem fome

A bandeira acredita que a semente seja tanta
Que essa mesa seja farta, que essa casa seja santa
Que o perdão seja sagrado, que a fé seja infinita
Que o homem seja livre, que a justiça sobreviva

Assim como os três reis magos que seguiram a estrela guia
A bandeira segue em frente atrás de melhores dias
No estandarte vai escrito que ele voltará de novo
E o Rei será bendito, ele nascerá do povo"

Desejo aos Amigos e Leitores
Um Feliz Natal
Repleto de Paz e Sabedoria

4 comentários:

Rodrigo Piva disse...

Parabéns pela matéria, Beth!
Não poupou detalhes.
O Natal é uma época muito especial e ao mesmo tempo um pouco triste, no meu caso, já que a gente lembra de entes queridos que nos deixaram.

Abraços e ótimo domingo

Alexandre Brendim disse...

Sempre uma aula...

Obrigado Beth

Anônimo disse...

Esse blog faz bem aos conecimentos humanos... Parabéns!

Giordano Bruno Collares disse...

IV - A ÁRVORE DE NATAL E OS PRESENTES
A origem da árvore de Natal vem da antiga Babilônia... Vem de Ninrode, neto de Cão, filho de Noé. Ninrode se afastou de Deus e enveredou-se pelo caminho da apostasia. Segundo se sabe, Ninrode era tão perverso que se teria se casado com a própria mãe, cujo nome era Semíramis! Após a sua morte, sua mãe-esposa propagou a doutrina maligna da sobrevivência de Ninrode como um ente espiritual. Ela alegava que um grande pinheiro havia crescido da noite para o dia, de um pedaço de árvore morta, que simbolizava o desabrochar da morte de Ninrode para uma nova vida. E, todo ano, no dia de seu aniversário de nascimento ela alegava que Ninrode visitava a árvore “sempre viva” e deixava presentes nela. Entre os druidas, o carvalho era sagrado, entre os egípicios as palmeiras, em Roma era o Abeto, que era decorado com cerejas negras durante a Saturnália (Walsh Curiosities of popular customs, pág. 242). O deus escandinavo Odin era crido como um que dava presentes especiais na época de Natal a quem se aproximava do seu Abeto Sagrado. Esta é a verdadeira origem da “Árvore de Natal” e da prática de se dar “presentes”! Jeremias 10:2-4 - “Assim diz o Senhor: Não aprendais o caminho das nações, nem vos espanteis com os sinais do céu; porque deles se espantam as nações, pois os costumes dos povos são vaidade; corta-se do bosque um madeiro e se lavra com machado pelas mãos do artífice. Com prata e com ouro o enfeitam, com pregos e com martelos o firmam, para que não se mova.”