sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Charles Chaplin - A dignidade No Cinema Mudo

Charles Chaplin, um homem humilde cuja dignidade vai além de seus trajes maltrapidos, folgados sapatos, um chapéu-coco e uma bengala, suas marcas registradas e imortalizadas na história do cinema mudo.
Charles Spencer Chaplin Jr., Nasceu na Inglaterra, Walworth - Londres, 16 de abril de 1889. Foi ator, diretor, roteirista e musico. Seu personagem, Charles Chaplin ficou conhecido na França, como "Charlot", na Itália, Espanha, Portugal, Grécia, Romênia e Turquia, como Carlitos, no Brasil: "O Vagabundo (The Tramp)".


Chaplin foi uma das personalidades mais marcantes e criativas da era do cinema mudo, atuou, dirigiu, escreveu, produziu e financiou seus próprios filmes.

Filmes de Charles chaplin

O idílio desfeito -1914
Os clássicos vadios - 1921
O garoto - 1921
Casamento ou luxo? - 1923
Em busca do ouro - 1925
O circo - 1928
Luzes da cidade - 1931
Tempos modernos - 1936
O grande ditador -1941
Monsieur Verdoux - 1947
Luzes da ribalta - 1952
Um rei em Nova York - 1957
A condessa de Hong Kong -1967


Em 1929 ganhou seu primeiro "Oscar" (versatilidade e excelência na atuação, roteiro, direção e produção - no filme The Circus), uma estatueta que ele deu muito pouca importância. Segundo declarações, ele usava essa estatueta ao lado da porta de sua casa para não deixá-la bater. Esse fato desagradou a Academia de Hollywood que passou a não premiá-lo, apesar das indicações.
Seu posicionamento politico de esquerda, sempre esteve presente em seus filmes.
Tempos Modernos foi um filme que criticava a situação da classe operária e dos pobres, utilizando conceitos marxistas elaborados por Karl Marx.

Modern Times, 1936



Em 1940 lançou,"O Grande Ditador", seu primeiro filme falado, onde Chaplin criticou Adolf Hitle e o Fascismo.



"O Grande Ditador" recebeu nomeações como melhor filme, melhor ator, melhor roteiro e música original, mas não foi premiado.



Em 1952, Chaplin ganhou o Oscar de melhor música em filme dramático por Luzes da Ribalta (Limelight), de (1952), porém no mesmo ano após anunciar que iria viajar para Suíça com sua esposa Oona O'neil, o governo americano confisca seus bens e mais tarde quando tentou retornar aos EUA, foi proíbido pelo serviço de imigração e seu visto foi cassado sob a acusação de "Atividades anti-americanas".
Charles então decide morar na Suíça.
Em razão das perseguições da época de sua realização este prêmio só pode ser recebido em 1972, junto com talvez a sua maior premiação.

Em 1972, ainda no exílio, havendo muita expectativa nesta premiação, pois não se sabia se seria permitida sua re-entrada no país, ele volta aos Estados Unidos pela última vez, para receber um prêmio especial da Academia pelas "suas incalculáveis realizações na indústria do cinema", se tornando uma das maiores aclamações na história do Oscar, onde Chaplin foi aplaudido por mais de cinco minutos, em pé por todos os presentes.





Charles Chaplin, morreu no dia 25 de Dezembro de 1977, aos 88 anos, na Suíça, vítima de um derrame cerebral.



Biografia Wikipédia Charles Chaplin

Frases de Charles Chaplin

"A persistência é o caminho do êxito."

"Não preciso me drogar para ser um gênio... Não preciso ser um gênio para ser humano... Mas preciso do seu sorriso para ser feliz."

"Nosso cérebro é o melhor brinquedo já criado: nele se encontram todos os segredos, inclusive o da felicidade."

"No final das contas, tudo é uma piada."

“Sem a minha mãe, acho que jamais me teria saído bem na mímica. Ela possuía a mímica mais notável que já vi. Por vezes, ficava durante horas à janela a olhar para a rua e reproduzindo com as mãos, os olhos e a expressão de sua fisionomia tudo o que se passava lá em baixo. E foi observando-a assim que eu aprendi não somente a traduzir as emoções com as minhas mãos e meu rosto, mas sobretudo a estudar o homem.”

"Todos somos aficcionados. A vida é tão curta que não dá para mais."

"O verdadeiro significado das coisas se encontra na capacidade de dizer as mesmas coisas com outras palavras."

"O homem não morre quando deixa de viver, mas sim quando deixa de amar."

“O homem é um animal com instintos primários de sobrevivência. Por isso, seu engenho desenvolveu-se primeiro e a alma depois, e o progresso da ciência está bem mais adiantado que seu comportamento ético.”

“Criámos a época da velocidade, mas senti-mo-nos enclausurados dentro dela. Os nossos conhecimentos tornaram-nos cépticos; a nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco.”

“Estudei o homem, porque se assim não o fizesse, não conseguiria realizar nada em meu ofício.”

"Amo as mulheres, mas não as admiro."

"Lutemos por um mundo novo... um mundo bom que a todos assegura o ensejo de trabalho, que dê futuro a juventude e segurança à velhice."

“Cada pessoa que passa na nossa vida, passa sozinha, porque cada pessoa é única e nenhuma substitui a outra. Cada pessoa que passa pela nossa vida passa sozinha, não nos deixa só, porque deixa um pouco de si e leva um pouquinho de nós. Essa é a mais bela responsabilidade da vida e a prova de que as pessoas não se encontram por acaso.”

“A beleza existe em tudo - tanto no bem como no mal. Mas somente os artistas e os poetas sabem encontrá-la.”

“Se tivesse acreditado na minha brincadeira de dizer verdades teria ouvido verdades que teimo em dizer brincando, falei muitas vezes como um palhaço mas jamais duvidei da sinceridade da plateia que sorria.”

"Através do humor nós vemos no que parece racional, o irracional; no que parece importante, o insignificante. Ele também desperta o nosso sentido de sobrevivência e preserva a nossa saúde mental."

"Mais que de máquinas, precisamos de humanidade."

"Por simples bom senso, não acredito em Deus. Em nenhum."

"Uma pessoa pode ter uma infância triste e mesmo assim chegar a ser muito feliz na maturidade. Da mesma forma, pode nascer num berço de ouro e sentir-se enjaulada pelo resto da vida."

Assista video sobre Charles Chaplin no YouTube


"O caminho da vida pode ser o da liberdade e da
beleza, porém, desviamo-nos dele.
A cobiça envenenou a alma dos homens, levantou
no mundo as muralhas do ódio e tem-nos feito marchar
a passo de ganso para a miséria e os morticínios.
Criamos a época da produção veloz, mas nos
sentimos enclausurados dentro dela.
A máquina, que produz em grande escala,
tem provocado a escassez.
Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa
inteligência, empedernidos e cruéis.
Pensamos em demasia e sentimos bem pouco.
Mais do que máquinas, precisamos de
humanidade; mais do que de inteligência, precisamos de
afeição e doçura!
Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo estará perdido."

(Charles Chaplin, em discurso proferido no final do filme O grande ditador.)

Fotos - Google Imagem

6 comentários:

blogdaluzfosca disse...

Excelente post Beth !
Sou Fã incondicional do Charles Chaplin.
Tem um blog que está nos meus favoritos: http://chaplin-charlie.blogspot.com/

Quem gostar de ver filmes dele !
Pode dar uma olhada. Vale a pena.
Beijocas.

victor disse...

Trabalho lindo sobre o mago do cinema mudo,Charles Chaplin. Magistral em o grande ditador. Abraços

berenice disse...

Beth, que maravilha de post! Adoro Chaplin! Deu vontade de rever seus filmes perfeitos! Beijos.

Brasil Empreende disse...

Uma vez charles chaplin sempre Charles Chaplin...
Ola visitei seu blog e achei um barato e gostaria de convidar para acessar o meu também, participar da enquete e conferir a postagem desta semana: “Frankfurter Buchmesse: “Turquia em todas as suas cores”.”
Sua participação será um grande prazer para nós
Acesse: www.brasilempreende.blogspot.com
Atenciosamente,
Sebastião Santos.

Norival disse...

Em primeiro meus parabéns, não há de se notar que é um belo, excelente, ótimo texto e conteúdo.
Agradeço por trazer até nós!

Existe um erro no link colocado aqui:

Charlie Chaplin - Modern times 2 / 9 part

Abraços!

Anônimo disse...

SIR CHAPLIN

O que dizer de você
quando tudo está dito?
O que falar para você
Quando tudo está falado,
Vagabundo amado?

Da perfeição de um gênio,
da hilaridade de sua arte,
a nossa tela de saudades...
No fundo de todo mundo
há mais que admiração e respeito
pelo seu jeito desajeitado tão perfeito.

Nossa mente tem conhecimento
de seu chapéu voando,
cabelos ao vento
e as abas do paletó flutuando...

A pantomina mais prodigiosa
vimos em suas mãos,
lemos em seu rosto,
rimos com o coração.

Seu método de criar lágrimas
e semear sorrisos é sua grandeza maior
que encantou décadas de risos.
Do erro nascia o sucesso,
as surpresas e os contrastes.

A eterna luta entre o bem e o mal,
o rico e o pobre,
o cheio de sorte
e o que não tinha nenhuma.

Agora, quando nosso mundo,
a nossa vida, a nossa civilização
se esboroar sob nossos pés,
quem correrá o risco para salvar a alegria
e as lágrimas como antídoto contra o ódio e o horror
e devolver aos nossos espíritos, a fé no sorriso?

Quem, Carlitos?
Você soube fazer o mundo ser melhor,
se encantar, rir e chorar. Regina Rousseau