domingo, 23 de agosto de 2009

O Monarca da Música Pop Brasileira

O cantor Roberto Carlos nasceu em Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo, no dia 19 de abril de 1941. 'Zunga', seu apelido de infância, cedo mostrou talento pela arte musical e aprendeu a tocar violão e piano. Seu ídolo da infância era Bob Nelson, um cantor brasileiro de música country romântica.
Quando tinha seis anos foi atropelado por uma locomotiva e perdeu a perna direita (parte abaixo do joelho) e passou a usar muletas, somente aos 15 adquiriu uma prótese.
Predestinado ao sucesso, não se deixou abater pela tragédia; aos nove anos de idade ganhou seu primeiro prêmio ao cantar o bolero "Amor y más amor" em um programa infantil na rádio da cidade de Cachoeiro.
Mas foi sua mudança para o Rio de Janeiro, nos anos 50, que determinou o rumo de sua carreira. Conheceu aquele que seria seu maior parceiro e irmão camarada, o amigo de fé Erasmo Carlos, e também Carlos Imperial, que chamava Roberto de "Elvis Brasileiro", o responsável pela profissionalização de Roberto Carlos ao convidá-lo para se apresentar no programa musical da extinta TV Tupi.



Nos anos 60, junto com Erasmo, Roberto começa a se popularizar ao compor hits famosos como, Splish Splash, Parei na Contramão, É Proíbido fumar, Calhambeque. Era os primeiros dias da Jovem Guarda, movimento musical que foi uma 'festa de arromba' da juventude da época; um registro histórico na cultura brasileira, que consagrou Roberto Carlos como ídolo daquela geração.



'Carrões', 'Morou', 'Brotos', 'Saca', 'Bicho'; eram gírias, marcas registradas dessa época, uma influência do Trio: Roberto, Erasmo e Wanderléa (Wandeca). Em 1965 esse trio era a sensação do Programa Jovem Guarda apresentado pela TV Record, que ajudou a popularizar o movimento musical. Entre as músicas famosas desse período, destacam-se: Lobo Mau, Quero que Vá Tudo Pro Inferno, O Feio, Parei na Contramão, Namoradinha de um Amigo Meu, Eu te Darei o Céu, Negro Gato, Eu sou Terrível, Splish Splash, Parei na Contramão, É Proíbido Fumar, Calhambeque.



Fizeram três filmes, mas "Em Ritmo de Aventura", foi o grande sucesso de bilheteria do cinema nacional. "Eu sou Terrível" foi a primeira faixa da trilha sonora do filme.
Por volta de 1969, uma mudança no estilo musical de Roberto Carlos marca o fim da Jovem Guarda e o início de sua carreira romântica. Composições memoráveis como, "Detalhes", "Sua Estupidez", "Amada Amante", "Debaixo dos Caracóis dos seus Cabelos", entre outras; são os primeiros prenúncios da ascensão do 'plebeu capixaba' ao 'trono'.


Em 1980, Roberto Carlos se consagra em definitivo, reconhecido internacionalmente, começa a colecionar records de vendas de discos (dentro e fora do país). Ganhou vários prêmios, entre eles o Grammy de melhor cantor latino americano e o Globo de Cristal. Ganhou também o famoso e tradicional "Especial de Final de Ano da TV Globo", um ritual sagrado nas comemorações de final de ano exíbido para todos os brasileiros, até mesmo aqueles mais renitentes em relação a sua obra. Quem nunca viveu uma paixão ou grande amor, embalado por uma das músicas de Roberto Carlos, atire a primeira pedra!



Roberto Carlos, extremamente meticuloso com sua aparência, mora em uma cobertura no bairro da Urca, RJ. Dizem os amigos que, Roberto é uma pessoa doce e muito sacana, mas detalhista e perfeccionista ao extremo, além de ter muitas superstições: não usa marron, não gosta de surpresas, só usa camisas em tons pastel, só toma determinadas decisões dependendo das fases da lua, entre outras.



A vida do Rei Roberto Carlos foi marcada por muitas emoções: vendeu mais discos do que Elvis Presley e os Beatles, ganhou muito dinheiro e notoriedade, se casou três vezes (Cleonice, Mirian Rios, Maria Rita).



Mas foi ao conhecer Maria Rita, que Roberto parece ter encontrado a verdadeira felicidade, sua alma gêmea que lhe proporcionou os melhores dias de sua vida e, por ironia do destino, os dias mais difíceis. Em 1998, diagnosticado um câncer no útero de Maria Rita, o casal passa a viver dias de sofrimentos, onde só encontravam suporte e esperança, na fé, na religião que ambos profeçavam.


Maria Rita faleceu em dezembro de 1999 e levou com ela o sorriso de Roberto, que não apresentou o Especial de 1999 da TV Globo, e abatido com a perda, se reclusou e só voltou a gravar e se apresentar no ano de 2000, quando compos "Amor sem Limite", música em homenagem a sua amada ausente.



Como o ser humano é extremamente adaptável as adversidades, Roberto toca sua vida pessoal e profissional, faz shows, grava discos; quem sabe, seja a fé inabalável de um dia reencontrar sua doce amada, o que sustenta sua caminhada nessa vida.
Roberto não compõe mais com o mesmo talento de antes, mais ainda é o grande intérprete, o monarca da música pop brasileira. A prova disso foi a comemoração aos 50 anos da carreira de Roberto Carlos, onde vários artistas famosos e cantores consagrados participaram da homenagem realizada no Maracanã no dia 11 de julho de 2009, onde gerações distintas reverenciaram o eterno Rei Roberto Carlos, cantando seus grandes sucessos.

Esse vídeo é o registro de um momento emocionante na comemoração dos 50 anos de carreira de Roberto Carlos, onde o rei canta a música Amigo, em dupla com Erasmo Carlos. Assinantes de feed, clique aqui



Site Oficial Roberto Carlos

2 comentários:

EternoAprendiz disse...

Parabéns pelo poste!!!
Passe no meu blog e pegue um selinho que deixei pra ti.
Bom começo de semana!!!!
Beijos!!!!

JIME disse...

Rei é Rei.
Ficará eternamente em nossos corações.
Beijos.