sábado, 4 de fevereiro de 2012

A Ocupação do Pinheirinho – O Silêncio da Mídia

geraldoalckmin carrasco do pinheirinho 

No dia 22 de janeiro de 2012, na ocupação chamada de Pinheirinho, São José dos Campos, São Paulo, 1700 famílias foram violentamente atacadas e colocadas para fora de suas casas por policiais militares e a guarda municipal. A desocupação do Pinheirinho foi um show de desrespeito aos direitos humanos orquestrado pelo governador Geraldo Alckmin a revelia do Governo Federal.

cidade de pinheirinho sao jose dos campos sp

justica por conta propria massacre do pinheirinho

Atacados com bombas de gás, pimenta e tiros, os moradores tiveram que abandonar suas casas e seus precários pertences: móveis, documentos, roupas, animais de estimação, etc.

demolicao das casa em pinheirinho sp

Tudo isso aconteceu com um único propósito, beneficiar um sujeito trambiqueiro, criminoso financeiro chamado Naji Nahas, condenado pela operação Satigraha em 2008 por evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

 naji nahas

“A relação entre Nahas e a massa fálida é fundamental para entender a desocupação ocorrida no dia 22 de janeiro de 2012 no Pinheirinhos.”

“Se a região for vendida, esse valor será descontado da massa falida da Selecta, que se abastecerá das divisas que estão em nome de Naji Nahas. Ele é interessado direto em desalojar as pessoas que estão lá”.

“O poder de influência do empresário foi fundamental para a ação de despejo. ele tem muita influência, sabe se mover entre autoridades, sempre foi assim. As circunstâncias desse desalojamento foram estranhas. A massa fálida que detém oficialmente os direitos da área era judicialmente obrigada a fornecer local seguro aos habitantes do Pinheirinho. Isso não foi providênciado. E as autoridades mesmo assim cumpriram a ordem de despejo.”

( Protógenes Queiroz – Articulador da Operação Satigraha em 2008)

pinheirinho

O Silêncio da Mídia

Mais absurda do que as ações que contrariam qualquer noção de cidadania e direitos humanos, foi a omissão da imprensa tradicional que não veículou o caso, a real gravidade da ação criminosa cometida contra toda aquela gente, vitíma da incompetência política diante dos graves problemas sociais do país.
O massacre ocorrido em Pinheirinho não pode passar impunemente. É dever de todos os brasileiros dignos e responsáveis, independente de ideologia política, se manifestar contra esse ato fascista e criminoso.

O Blogueiro Fabrício Cunha foi brilhante em sua colocação:

“Quando esse tipo de interpretação do conceito de propriedade privada sobrepõe a dignidade humana, há algo de muito errado em nossa sociedade.

Quando uma prefeitura finge que não vê um número tão grande de pessoas e não as considera em sua gestão, há algo de muito errado com a política.

Quando um prefeito lava as mãos em silêncio diante de um fato que acontece debaixo de seus olhos, há algo de muito errado com um líder.”

No Brasil, movimentos sociais, usuários de drogas são criminalizados. Bacana, é ser especulador, é roubar cofres públicos, é ser golpista. Para esses, existem habeas corpus, imunidade parlamentar, seus bens são invioláveis, seus processos são engavetados e seus crimes prescrevem.

Até quando?

Pedro Rios Leão, testemunha do massacre em Pinheirinho, indignado com o descaso da mídia brasileira, está fazendo greve de fome em frente da Central Globo de Jornalismo. O principal objetivo de Pedro Rios Leão é denunciar um Estado comprometido com as corporações e não com o povo, é pedir justiça.


pinheirinho violacao dos direitos humanos

Pinheirinho-foto-Roosevelt_Cassio-Reuters

pinheirinho-paulista-700-ae

Não existe democracia sem responsabilidade social e justiça!

“Só há duas opções na vida: se resignar ou se indignar. Eu não vou me resignar nunca.”


( Darci Ribeiro )

E você?

Eu sou brasileira, eu sou   <<-|

Leia,
A História do Massacre do Pinheirinho - Brasil – Massacre Pinheirinho

Vídeo Violência da PM no Pinheirinho

Um comentário:

Salette disse...

Muito bom seu post. Ainda bem que temos a internet para denunciar o que a mídia "marrom" não publica. Se fosse estrupo no BBB ou se a Luiza voltasse para o Canadá...aí sim teríamos todas as mídias esgotando ao máximo a nossa paciência com tanta (des)informação.
Obrigada por partilhar.
Bj e bom domingo